segunda-feira, 20 de setembro de 2010

ESTUDO SOBRE O PASSE -sobre o modo e técnica de aplicação do passe

Sobre o modo e técnicas de aplicação do passe
Quais são os tipos de passes? É indispensável a gesticulação das mãos, nos passes dentro do Centro Espírita? Não seria mais eficaz a simples e fraterna imposição de mãos? Qual a importância das técnicas utilizadas na aplicação do passe e que foram desenvolvidas após anos de estudos por antigos magnetizadores como Mesmer, Puysegur e outros?
Os amigos espirituais nos dizem que se pode recorrer à fórmula que mais nos inspire confiança. Convém, apenas, não criarmos polêmicas inúteis entre nós nem exagerarmos na gesticulação. As técnicas utilizadas pelos antigos magnetizadores têm a importância que lhe atribuam os seus estudiosos e praticantes, não sendo, porém, prática indicada para a casa espírita, em que os passes não são feitos apenas com o magnetismo humano mas com a ajuda dos bons espíritos.

No C.E.A.K., em Campinas, costumamos orientar os passistas a procederem como está em nosso livro “Fluidos e Passes”:

1) Procurar estabelecer o contato mental e fluídico com o assistido;
2) Breve imposição das mãos sobre a cabeça do assistido, para “carregar” de fluidos a serem transmitidos;
3) Aplicar, então, o passe longitudinal, algumas vezes; se houver intuição a respeito ou notar necessidade, aplicar, também, passes rotatórios ou transversais;
4) Encerrar com uma imposição.

Durante a aplicação do passe, o dirigente deve dizer alguma coisa? Por exemplo, direcionar o pensamento das pessoas ao envolvimento magnético, aos fluidos do plano espiritual superior que estão sendo jorrados, etc. ou não?
Na casa espírita, geralmente temos vários passistas aplicando passe em várias pessoas ao mesmo tempo e cada qual tem relativa autonomia no procedimento (uns são mais rápidos que outros; alguns sentem necessidade de variar no tipo de passe aplicado, etc.). Portanto, não comporta que o dirigente fique tentando orientar nesse momento a aplicação dos passes.
Previamente, as pessoas foram instruídas sobre o que é o passe e como se comportarem durante ele para se tornarem receptivos aos fluidos ministrados. E, em cada turma, antes de se aplicar o passe e ao final dele, é feita pequena prece. Mas a aplicação do passe é feita em silêncio respeitoso e com muito fervor nos assistidos e nos passistas.

Que relação existe entre os chakras e o passe?
É que a emissão e recepção das energias transmitidas no passe se faz através dos centros de força (chakras).

O cruzar as pernas ou braços prejudica em alguma coisa no passe?
Os magnetizadores falariam de impedimento às correntes centrípetas ou centrífugas mas, do ponto de vista espírita, não há qualquer inconveniente, pois os fluidos são absorvidos pelos centros de força. Porém, o inconveniente está em que, às vezes, os membros cruzados podem ficar dormentes ou requerem movimentação, exigindo a atenção do assistido que, no momento do passe, deveria ficar concentrado e receptivo.

De acordo com O Livro dos Médiuns toda ação por parte do homem seria secundada por espíritos afins com o objetivo do ato. Se pensarmos assim podemos afirmar que não há o chamado “passe magnético”, como classifica Kardec, e sim apenas o “humano-espiritual”?
Geralmente, costuma haver, mesmo sobre os magnetizadores, a assistência de bons espíritos sendo, portanto, o passe humano-espiritual; o que não quer dizer que o magnetizador não possa agir de si mesmo e, neste caso, seu passe é magnético.

(Trecho extraído de entrevista concedida ao CVDEE – Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...