quarta-feira, 1 de setembro de 2010

ESTUDO SOBRE O PASSE - parte 1


Estudo sobre o passe (Parte I) Sobre o passe e seus efeitos

Qual a importância do passe no centro espirita?

O passe na casa espírita representa um bom recurso de auxílio às pessoas que estejam enfermas, ou desgastadas emocionalmente ou, ainda, sob assédio de maus espíritos. Não deve ser a atividade única nem a mais importante na casa espírita e deve estar sempre associado à tarefa de esclarecimento e orientação doutrinária do assistido, porque o objetivo primordial do Espiritismo é o progresso intelecto-moral da humanidade e não o simples e momentâneo alívio de seus males.



O que acontece no momento do passe com quem dá e com quem recebe?

O passista, desejando ajudar alguém com o passe, atrai a assistência de bons espíritos, que o auxiliam a direcionar os fluidos para o assistido. Se o assistido estiver receptivo, sua mente adere à idéia de trabalho restaurativo e começa a sugeri-lo a todas as células do corpo físico. No dizer de André Luiz (Cap. XXII de “Mecanismos da Mediunidade”), assim que se estabelece o clima de confiança entre o socorrista e o necessitado, forma-se um elo de forças entre eles, pelo qual verte o auxílio da esfera superior, na medida dos créditos de um e de outro.



De que forma posso melhor aproveitar o momento do passe? E como ele pode me proteger no dia-a-dia? Ou o que devo fazer para que ele me proteja no dia-a-dia?

Para um bom estado receptivo das energias do passe, acalme seu coração, pacifique sua mente, eleve seu pensamento a Deus, confiando na misericórdia divina, e ore silenciosamente, pedindo que lhe sejam proporcionadas as bênçãos de que precisa, para prosseguir vivendo e cumprindo seus deveres para com Deus, consigo mesmo e com o próximo.

O passe lhe fortalecerá fluidicamente e a prece atrairá para você o amparo dos bons espíritos, como ajuda misericordiosa de Deus, para que você tenha equilíbrio e boa disposição para viver.

Mas, o que fará você estar protegido no seu dia-a-dia, serão o bem que você pensar e fizer, porque a justiça divina só dá a cada um segundo as suas obras.



Ouvimos comentário que numa casa espírita as crianças, durante a reunião pública, tem aulas de evangelização e por isso não necessitam receber o passe, apenas os adultos o recebem. Isto está correto?

As crianças saudáveis e equilibradas realmente não precisam receber passe, como também não o necessitam os adultos igualmente saudáveis e equilibrados. Mas para as crianças enfermas, ou que apresentem perturbação ou desequilíbrio, será benéfica uma adequada transmissão de energias, para o que haverá na casa espírita reuniões especializadas de assistência espiritual.



Um bebê que ainda não foi batizado em nenhuma religião pode receber o passe? E é aconselhável fazê-lo para proteger a criança?

R: O batismo é uma prática exterior adotada em algumas religiões cristãs mas não é prática indispensável para a vida e bem estar de ninguém. Quem reencarna já está abençoado por Deus com a oportunidade de uma nova existência corpórea. A criança recém-nascida também não precisa de passe, a não ser quando enferma ou desequilibrada. Se queremos pedir a proteção divina para a criança, basta orarmos com sinceridade e amor por ela.



(Trecho extraído de entrevista concedida ao CVDEE – Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...